29.9.08

Carlos Paião (1957 – 1988)

Carlos Manuel de Marques Paião assim nasceu em 1957 e em 1983 licenciou-se em Medicina na Universidade de Lisboa. Foi em Ílhavo, sua terra natal, que obteve o primeiro reconhecimento quando em 1978 venceu o Festival da Canção do Illiabum Clube, com o tema “O Tempo é de Guerra”.


Em 1981 foi catapultado para o sucesso com o seu Play-Back conquistou o Festival RTP da Canção e, que o transportou até Dublim para participar no Festival da Eurovisão. Parece que a crítica subjacente à letra, a coreografia inovadora juntamente com os trajes arrojados, não convenceram a Europa. Carlos Paião deu a este penúltimo uma relativa importância e brincou
“Se virarem a tabela ao contrário terão uma agradável surpresa…”
este foi o comentário do cantor à então pior prestação portuguesa a nível internacional.


A sua veia satírica e a incrível facilidade que tinha a escrever letras está patente nas músicas que interpretou, mas também é o responsável pela letra de música de “Serafim Saudade” e “
Canção do Beijinho” (Herman José), “Vinho do Porto, Vinho de Portugal” (Cândida Branca Flor) e, entre outros, “O Senhor Extraterrestre” (Amália Rodrigues
), não esquecendo o "Bamos lá, Cambada!" (José Esteves/Herman José) que acompanhou a Selecção Nacional de Futebol'86.


Participou ainda em festivais internacionais e apresentou programas de televisão como o “Foguete” com António Sala e Luís Arriaga. Gravou alguns LP’s, um dos quais e o ultimo de originais, foi lançando há 20 anos, um mês após a sua trágica morte a 26 de Agosto de 1988.

O compositor, interprete, produtor e instrumentista é hoje mais uma vez recordado com o lançamento deste
CD de Tributo
, com muitas vozes da nova geração:

1. Rui Veloso - Cinderela
2. Tiago Bettencourt e Mantha - Pó de Arroz
3. Donna Maria - Vinho do Porto
4. F - Cegonha
5. Pólo Norte - Eu não sou Poeta
6. Per7ume - Versos de Amor
7. Balla - Não há duas sem três
8. MESA - Senhor Extraterrestre
9. Loto - Telefonia
10. M.A.U. - Ga-gago
11. Sam the kid - Playback (Instrumental)
12. 4Taste - Playback
13. Oioai - Discoteca
14. The Vicious Five - Zero a Zero


CD que reflecte algumas das 50 músicas que gravou, das mais de 500 que escreveu e que reflectiam o seu aguçado sentido critico, transmitindo de forma simples a sátira e o amor.

Despeço-me ao jeito de Paião


“Até qualquer dia, pois da vossa simpatia nunca mais me esquecerei…”

6 comentários:

precious disse...

eiii esse era um SENHOR! quando os meus pais me dizem 'antigamente é que se fazia musica' e eu me lembro de nomes como o do Carlos Paião tenho q dar a mao à palmatoria e concordar !

***

P.S: se encontrar o tal principe encantado eu relato a sua existência! :p

Runcolho disse...

É um tributo bem merecido, mas se calhar não teria sido pior retirar dali o Rui Veloso e os Polo Norte deixando que seja um tributo de "novos artistas portugueses".

Acho no entanto criminoso por uma banda como os 4taste a prestar uma homenagem a um Senhor como o foi (e é) o Carlos Paião.

Rita disse...

sarinha, devias ter nascido noutro tempo, e tenho dito :) muaaah

sweetie disse...

A música "Vinho do Porto" chega mesmo a ser qq coisa.. =) e é gente como ele que nos faz falta! ** (finalmente descortinei o que é o SA do teu tópico! demorou!=P)

S.A. disse...

Concordo com o runcolho, mas... Jénio, se pensarmos bem a música que eles cantam cai-lhes na perfeição, não?

Ana, BM

Teté disse...

Fizeste bem em recordar...

S. para Sarinha, A. para Ana??? ;)