6.10.09

Amália ...

"Tudo isto existe, Tudo isto é triste, Tudo isto é Fado"
Recordar a morte é celebrar a vida porque O Artista nunca morre!!

« Foi uma estranha forma de vida porque eu não fiz nada por ela, foi por vontade de Deus, não é? "Que eu vivo nesta ansiedade, que todos os ais são meus que é tudo minha a saudade, foi por vontade de Deus". Já isto fiz com trinta anos! Quer dizer já eu pressentía que tinha sido Deus que me tinha feito o destino, que me tinha marcado o destino, que me deu uma natureza para a qual eu nasci, ... nasci com esta obrigação de cantar fado! Ou foi o fado que fez isto! O fado é destino, portanto deu-me este destino a mim!
Quando eu morrer váo inventar muitas histórias sobre mim, se inventaram sobre a severa e não se sabe se ela existiu, e de mim sabem concerteza que eu existi. »




23 de Julho de 1920 *** 6 de Outubro de 1999


Silenciou-se a voz da grande senhora do fado, a sua voz, a que jamais se calará nos corações dos que ainda se arrepiam !!!
Silêncio! Vai-se cantar o fado...
Amália...
quiz Deus que fosse o meu nome.
Amália...
acho-lhe o jeito engraçado.
Bem nosso e popular,
quando oiço alguém gritar:
Amália!
canta-me o fado.
Amália...
esta palavra ensinou-me...
Amália...
tu tens na vida que amar.
São ordens do Senhor
e Amália sem amor
não liga, tens de gostar.
E como até morrer
amar é padecer,
Amália!
Chora a cantar.
Amália...
disse-me alguém com ternura...
Amália...
da mais bonita maneira.
E eu, toda coração,
julguei ouvir entãoAmália!
P'la vez primeira.
Amália...
andas agora à procura...
Amália...
daquele amor mas sem fé.
Alguém ja mo tirou,
alguém o encontrou
na rua com a outra ao pé.
E a quem lhe fala em mim
já só responde assimAmália?
Não sei quem é!


1 comentário:

ed disse...

em nome da comunidade atentamente leitora exige-se um escrito!